AS PULSEIRAS INTELIGENTES ESTÃO DOMINANDO OS FESTIVAIS, VEJA COMO ESSA TECNOLOGIA FUNCIONA.

16 de maio de 2017 Escrito por Renan Bastazini
Share on FacebookPin on PinterestTweet about this on Twitter

Se você visitou algum grande festival de música nos últimos tempos, como o Lollapalooza ou Tomorrowland, com certeza se deparou com uma novidade na hora de adquirir o ingresso: nada de papel ou cartão, mas uma pulseira!

 

O acessório que conta com a tecnologia RFID (identificação por radiofrequência) implantada, tem dominado festivais mundo afora, e transformando o modo de consumo e venda de ingressos em eventos – principalmente os que contam com mais de um dia de ações e alto fluxo de público.

 

Mas como funciona a pulseira?

 

Com um microchip acoplado, as pulseiras RFID captam e reproduzem dados por meio da radiofrequência. A sua tecnologia avançada permite que o acessório se transforme em uma smart pulseira, e seu uso vai muito além da entrada ao evento, incluindo compras e interações entre os usuários.

 

A pulseira já vem sendo utilizada há algum tempo nos EUA e Europa, e chegou com força no Brasil no último ano. Os benefícios são vários, não apenas para o produtor ou organizador do evento, mas também para o público, que inicia a experiência a partir do recebimento da RFID.

 

Para entender melhor sobre a tecnologia, separamos alguns pontos importantes, destacando os seus benefícios e vantagens para um grande evento. Confira:

 

Para o organizador:

 

  • Combate à falsificação: Devido a sua capacidade de armazenamento de dados, as pulseiras RFID elevam a segurança com relação aos ingressos falsos ou repassados, inserindo um código de registro único, com todas as informações de seu proprietário. Além disso, o acessório conta com um lacre inviolável, que depois de fechado, só é extraído com o auxílio de uma tesoura.

 

  • Melhoria no fluxo: Um dos principais benefícios encontrados na pulseira RFID, é a agilidade na hora de controlar o fluxo de pessoas no evento. A verificação do ingresso convencional e bipagem do código de barras na entrada são substituídos por um único toque da pulseira na base de controle de acesso. No interior do evento o fluxo também ganha melhorias, já que o público tem a opção de adquirir créditos para consumo com antecedência, evitando filas no local.

 

  • Redução de custos: Além de otimizar o tempo e o fluxo interno, a RFID também contribui com a redução de custos no planejamento. Isso porque gastos com auxiliares são subtraídos com a unificação oferecida pela tecnologia.

 

  • Gestão e controle: O organizador também é capaz de controlar, em tempo real, toda a movimentação do evento, como o número de participantes, fluxo de caixa e estoque, e assim, não só fazer um balanço final mais assertivo, como também evitar transtornos causados pela falta de informações.

 

  • Interação com o público: Os organizadores de eventos também estão explorando novas formas de potencializar a experiência do público por meio da pulseira RFID. No festival americano Coachella, por exemplo, foi realizada uma ação conjunta com a empresa de streamings Spotify, para que as pessoas pudessem captar instantaneamente os sons ambientes e dos palcos, adicionando as faixas diretamente à sua playlist.

 

Para o público:

 

  • Menos filas, mais shows: Não há nada pior do que irmos a um evento que gostamos e perdermos horas em filas para a compra de alimentos e bebidas, ou alguma atração à parte. Com a possibilidade de compra de créditos antecipados, o público já chega ao local com um valor em sua pulseira, indo diretamente ao ponto de compra, sem a necessidade de adquirir fichas.

 

  • Segurança: No caso de perda ou roubo da pulseira, o cancelamento pode ser feito rapidamente via internet. Com o pedido do proprietário, o acessório registrado automaticamente perde a validade, impossibilitando que outra pessoa usufrua da pulseira durante o festival.

 

  • Durabilidade: Um dos pontos fracos do ingresso tradicional é a fragilidade do material produzido, principalmente para os que compram com bastante antecedência. A pulseira, que é formada por um tecido e chip ganha pontos neste quesito, se tornando mais resistente às variações climáticas, acidentes e outros problemas que colocam o ingresso em risco.

 

 

 

Curta o set exclusivo da DJ Antonela Gimpietro para nossa Radio Show  aqui.

Confira  a DJ ANNA falando sobre o Wagundg Day Festival aqui

Acompanhe a Groove Mag: Soundcloud /  Facebook /  Instagram

 

Confira Também

BURN ENERGY LEVA A ENERGIA DO FOGO PARA A TRIBALTECH ESCAPE

BURN Energy Drink, marca de energéticos da americana Monster Energy, promete incendiar a Tribaltech 2017 Escape, festival de música eletrônica que acontece no próximo sábado, 7 de outubro, em Curitiba. A marca é patrocinadora oficial do [continua]

SUBDVIVISIONS 2 ANOS COM MARGARET DYGAS E JUNKI INOUE

A Subdivisions comemora, no dia 6 de outubro, dois anos. A festa que preza por elementos primordiais como: estrutura, boa música e um ambiente único, realiza sua nona edição em São Paulo.   A Subdivisions é [continua]