TRIBALTECH ESCAPE: “TODOS PODEM ESPERAR UMA EXPERIÊNCIA ÚNICA, POIS APOSTAMOS EM NOMES NOVOS E O LUGAR É INCRÍVEL”

7 de julho de 2017 Escrito por Tati Blanco
Share on FacebookPin on PinterestTweet about this on Twitter

 

O festival eletrônico mais tradicional de Curitiba e região, TribalTech, anunciou nessa semana a data para a conclusão de sua trilogia em 2017. A data escolhida para a realização do festival é dia 07 de outubro de 2017, e promete vir em um local totalmente novo, com um novo conceito. Enfim será dada a conclusão da trilogia, que movimentou tanto os fãs do festival.

O festival surgiu há 13 anos, exatamente em agosto de 2004, idealizados pelos sócios Jeje e Dudu Marcondes. Nesta época o festival era voltado ao trance e suas vertentes. Nos primeiros anos aconteceram também edições  em Toledo e londrina, e fora do estado em Florianópolis, contribuindo para que a marca do festival se fortalecesse fora da capital paranaense. Em 2007 o festival fixou raízes em Curitiba, e passou a ser realizado uma vez por ano, com isso aumentando cada vez mais seu público.

 

Já em 2010 a organização teve uma atitude que seria muito criticada pelo público, levando o trance que era sua vertente principal do main stage para um palco alternativo. E o palco principal foi tomado pelas vertentes do techno e do tech-house, essa coragem da TribalTech levou outros festivais a seguirem seus passos e darem espaço para as vertentes que já tinham força fora do país. No ano seguinte, o festival tentou agradar os dois públicos, mesclando o palco principal com as duas vertentes, o trance e o techno, porém não conseguiram alcançar o sucesso como em outros anos, tanto pela crítica do público quanto pela chuva.

Então, em 2012 a TribalTech após vários acertos, erros, tentativas e inovações, viu que era hora de se despedir, fazendo a melhor edição de todas – como muitos consideram. A cenografia estava impecável, o techno passou de vez a dominar o palco principal, e o trance voltou a ter seu próprio palco, e para fechar com chave de ouro o sol contemplou o festival com a sua presença.

 

O RETORNO E COMEÇO DE UMA TRILOGIA

A trilogia começou em 2014, com a edição Reborn, essa edição abria um pausa de dois anos do festival, e acabou sendo a continuação do sucesso de 2012, com 12 palcos de diferentes estilos musicais como: bass music, house, techno, psytrance e breaks. Me lembro da edição fazer todos sentirem parte de um mundo novo, que renascia, a decoração do festival remetia ao renascimento dos tempos, com tamanhos e formas impressionantes, vários ambientes e o público podia interagir diretamente com o palco principal que tinha diversos níveis para se explorar.

 

A segunda parte da trilogia, intitulada Evolution, foi realizada em dois dias consecutivos, com vários artistas esperados pelo público. Porém essa edição enfrentou grandes problemas, que talvez o festival nunca tivesse enfrentado nessa proporção. Tudo iniciou com a crise econômica do país, que impediu que muitos fãs do festival conseguissem adquirir o ingresso, e para a organização a alta do dólar fez com que os cachês dos artistas internacionais subissem mais do que o esperado, para completar os dois dias de festival foram um verdadeiro dilúvio, a chuva e o frio castigaram o evento e seu público. Para piorar, o festival foi obrigado a fechar dois palcos no segundo dia, por causa da chuva, remanejando artistas para outros stages e o público se aglomerou nos palcos cobertos.

Mas apesar da quantidade de problemas enfrentados pelo festival, a edição conseguiu entrar para história, pois o público se manteve fiel, e torcendo para que a trilogia continuasse em 2016. Porém, naquele ano o festival anunciou que não realizaria a edição final da trilogia, mostrando responsabilidade em entregar algo bem planejado aos seus fãs, justamente para não cometer os mesmo erros do ano anterior, e assim começou a torcida e a espera do público para o anuncio que viria esse ano, e toda essa força foi o fator determinante para a organização não desistir de realizar o festival.

“A receptividade do público com certeza é o primeiro fator. Foi emocionante ver as milhares de pessoas que enfrentaram a chuva e compareceram ao segundo dia de 2015, assim como está sendo gratificante ver as dezenas de milhares que já confirmaram presença no evento deste ano e que estão agradecendo e elogiando o festival. Nós o fazemos pensando em apresentar coisas novas, tirar as pessoas da zona de conforto e estimular a ampliação dos horizontes culturais de todos. Enquanto houver essa reciprocidade, não iremos desistir!” – organização da TribalTech

O ano 2017 iniciou, e muitos diziam que não aconteceria, pois não era vista nenhuma pista sobre o festival, mas em maio o festival se pronuncia em sua página oficial com “Reloading“, o público enfim pode começar  a se tranquilizar, pois isso indicava que o festival estava pronto para dar o que o público tanto aguardava.

A expectativa estava grande para o público, e ainda mais para a organização como comenta a T2 eventos, produtora do festival:

“A expectativa era muito grande, estamos montando esta edição há meses, queríamos muito que as pessoas entendessem nossa ideia para 2017 e foi gratificante ver que isso aconteceu! Todos podem esperar uma experiência única, pois apostamos em nomes novos, o lugar é incrível e a ambientação vai proporcionar sensações até então inéditas para a maioria das pessoas.”

Agora a expectativa do público se volta para saber qual vai ser o conceito e o novo local do festival. A primeira fase do line-up já foi anunciado e conta com os DJs Albuquerque aka Borgman | BLANCAh | Conti & DJ Leozinho | Daniel Bell | Dashdot | DeWalta | D-Nox |Element | Eli Iwasa | Fabø | Fran Bortolossi |Gromma | HNQO | Hito | Ion Ludwig | Kolombo | Kultra | Major7 | Marc Houle | Margaret Dygas | Nastia | Ney Faustini |Octave One | Reality Test | Renato Ratier | tarter |TouchTalk | Vegas | Vibe Tribe | Victor Ruiz |Volkoder | XDB.

Os ingressos para o festival também já estão disponíveis para venda pelo site Alô Ingressos, sendo pista unissex R$ 120,00 meia entrada e camarotes unissex R$ 190,00 meia entrada.

Mais notícias sobre o festival serão anunciadas em breve. Fiquem ligados!

 

 

 

 

Confira Também

CONFIRA ESTE NOVO GUIA ILUSTRADO PARA CUIDAR DO SEU VINIL

    A nova label Float, lançou um guia ilustrado com sete passos para manter seu vinil bem armazenado e saudável. As ilustrações podem ser encontradas no álbum  “Ore“, um álbum de estreia minimalista e pulsante [continua]

CONFIRA OS PRINCIPAIS SETS DO PRIMEIRO FINAL DE SEMANA DO TOMORROWLAND BÉLGICA

O festival Tomorrowland Bélgica está na vanguarda em transmissão ao vivo do festival, e já está disponível em seu canal do youtube todas as apresentações do primeiro final de semana do festival. Nós separamos as 10 apresentações [continua]